quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Seguindo os passos do Mestre (I Jo. 2:6)

Se quisermos agradar a Deus precisamos seguir os passos de Jesus. Nesse estudo sobre a vida de Jesus você vai descobrir algumas atitudes dEle que devemos observar.

1. Obediência a Deus – Durante o ministério de Jesus ele agiu sempre de acordo com a vontade de Deus. Mesmo quando questionado ou incitado a fazer diferente não abriu mão da obediência irrestrita ao Pai. Por ocasião de seu batismo, mesmo sendo questionado por João Batista, que não se considerava digno de batizá-lo, respondeu: “Deixa por enquanto, porque, assim, nos convém cumprir toda a justiça”. (Mt. 3:15). Ele não se preocupou no que os outros achavam da sua atitude. Queria, a qualquer custo, fazer simplesmente a vontade de Deus.

2. Humildade – Satanás, quando tentou Jesus no deserto, testou a sua humildade com as seguintes palavras: “... manda que estas pedras se transformem em pães.” (Mt. 4:3). Ele não se preocupou em provar nada para o Diabo. Ele e Deus sabiam o seu objetivo; isso era o bastante.

Ele, sendo homem e Deus estava diante de uma oportunidade ímpar de demonstrar o seu poder, mais não o fez. Preferiu admitir a sua dependência total, dizendo: “... não só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que procede da boca de Deus.” (Mt. 4:4). A primeira atitude de um ser humano comum seria o exibicionismo.

Muitos cristãos não podem viver uma vida de mais comunhão com Deus que já começam a se exibirem. Jesus diz: “Guardai-vos de exercer a vossa justiça diante dos homens, com o fim de serdes vistos por eles...” (Mt. 6:1).

3. Espiritualidade – Ele, em momento algum, permitiu que a visão das coisas materiais o afastasse das espirituais. Não vivia como a maioria dos homens, o simples aqui agora. Via adiante. Não perdia a noção do fim de todas as coisas terrenas; sempre demonstrou a sua firme consciência do quão frágil é a existência das coisas materiais. Certa feita disse “... Não acumuleis para vós outros tesouros sobre a terra... ajuntais para vós outros tesouros no céu...” (Mt. 6:19-20).

4. Compaixão – Sempre que Jesus via alguém necessitado logo solucionava os problemas. Estava sempre disposto a ajudar. Quando um leproso se aproximou dEle dizendo: “Senhor, se quiseres, podes purificar-me.”(Mt. 8:2). Na seqüência vemos que Ele “... tocou-lhe, dizendo: Quero, fica limpo!...”(Mt. 8:3). A cura foi imediata. Jesus não lhe deu apenas uma palavra de conforto; ele resolveu o problema de uma vez por todas. A partir desse episódio vemos uma série de milagres que Ele operou, segundo a sua compaixão. O evangelista Mateus diz “... curou todos os que estavam doentes;” (Mt. 8:16). “Vendo Ele as multidões, compadeceu-se delas...” (Mt. 9:36).

5. Disposição – Nos quatro evangelhos observamos uma seqüência de fatos que denotam a disposição de Jesus em fazer a obra do Pai. Ele não perdia tempo. Não tinha um local fixo para repousar. Todo lugar aonde chegava fazia algo extraordinário. Não vivia uma rotina.

Sempre surpreendia. Disse, certa vez: “... o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça.” (Mt. 8:20). Mesmo assim não parava. Veja a seguir alguns exemplos que descrevem o que estamos dizendo: “... entrando Ele no barco...” (Mt. 8:23); “partindo Jesus dali...” (Mt. 9:9); “E Jesus levantando-se...”(Mt. 9:19). Se formos examinar minuciosamente ficaremos cientes da enorme disposição do Mestre.

Enfim, se formos estudar os passos do mestre ficaremos perplexos pela forma como ele desenvolveu seu ministério. Ele espera isso de nos! Ele estimulou os seus discípulos com as seguintes palavras: “Basta ao discípulo ser como o seu mestre...” (Mt. 10:25). Sigamos os passos de nosso Mestre.

2 comentários:

  1. muito lindoooooooooooooo

    ResponderExcluir
  2. Cada vez me impressionando mais e mais! "Devemos nos manter na fé por mais que seja o contra tempo".

    ResponderExcluir